BIBLIOTECA


A Biblioteca do Museu Histórico Nacional oferece ao público um vasto acervo, compreendendo obras do século XVI ao XXI. São livros, folhetos, periódicos e materiais especiais, que abrangem temas como Arte, Numismática, Indumentária, História do Brasil, História do Rio de Janeiro, História de Portugal, Heráldica, Genealogia, Gastronomia e Museologia.

Para a formação desse magnífico acervo, a Biblioteca contou com significativas doações de grandes coleções particulares, que pertenceram a personalidades importantes no contexto histórico e cultural do país.



As principais coleções são:
Coleção Miguel Calmon - Miguel Calmon du Pin e Almeida foi senador, ministro da Viação e Obras Públicas e ministro da Agricultura, no início do século XX. A sua biblioteca pessoal é formada por obras sobre Educação, Obras Públicas, Agricultura, História do Brasil, biografias de personalidades públicas, entre outras.

Coleção Gustavo Barroso - Gustavo Dodt Barroso fundou e dirigiu por longos anos o Museu Histórico Nacional; foi membro da Academia Brasileira de Letras; responsável por várias revistas cariocas; escreveu inúmeras obras em várias áreas do conhecimento, entre outras participações na vida pública. Sua Biblioteca particular é muito abrangente. Dela podemos ressaltar obras sobre Arte, Folclore, Literatura, Política, História do Brasil, História Universal, Museologia e Antropologia. Além de todas as obras escritas por Gustavo Barroso, há ainda as obras críticas sobre a sua produção intelectual.

Coleção Sophia Jobim - Sophia Jobim Magno de Carvalho criou o primeiro Museu de Indumentária de Antiguidade da América Latina, foi professora da Escola Nacional de Belas Artes, museóloga e desenhista. Artes, Indumentária e Gastronomia são os temas de seu magnífico acervo.




A coleção de numismática, que teve sua origem através da doação realizada pela Biblioteca Nacional do Brasil é significativa para o estudo das moedas, medalhas e selos.

Entre as obras raras estão exemplares dos séculos XVI, XVII e XVIII, de edições originais ou esgotadas, com encadernação requintada, anotações manuscritas. Destaque para aquelas que tratam das grandes viagens empreendidas por viajantes europeus com o objetivo de conhecer os Trópicos. Além dos textos originais, há reedições críticas destas fontes, que, em geral, descrevem com minúcias imagens que aos olhos desses europeus apareciam como essencialmente exóticas. Também está incluído entre as obras raras o acervo composto por jornais de época, englobando fascículos do século XIX, onde a linguagem peculiar da caricatura era particularmente enfatizada. Centrada no tema heráldica, a coleção "Colégio de Armas" apresenta obras com vasta iconografia e também exemplares raros, como uma obra manuscrita, provavelmente do século XVI.




Outras coleções particulares e áreas de abrangência: Coleção Jenny Dreyfus (Arte e Genealogia); Coleção Lauryston Guerra (Brasil República); Coleção Herculano Mathias (História do Brasil); Coleção Anaildo Barraçal (Rio de Janeiro); Coleção Fábio Freixieiro (Literatura Brasileira); Coleção Ligya Cunha (Rio de Janeiro); Coleção César Balbi (Arte); Coleção de Genealogia e Heráldica (Genealogia e Heráldica); Coleção Centro de Referência Luso Brasileira (História de Portugal e Brasil); Coleção Ana Maria Mesquista (Arte); Coleção Joaquim Sampaio Ferraz ( Brasil República); Coleção Exposição Histórica (Exposições nacionais e internacionais) e Coleção Família Real ( Missais). Há também as obras que são identificadas pelos nomes das Séries - Coleção Brasiliana e Coleção Documentos Brasileiros, que possuem preciosas informações para o estudo da História do Brasil.




Dentre todo o conjunto destaca-se a Coleção de Publicações MHN, que contém todas as obras editadas pelo Museu. Compõe esta coleção o periódico "Anais do Museu Histórico Nacional", que é uma preciosa fonte de informação sobre a história da instituição e a formação de seu acervo.
A Biblioteca, refletindo a trajetória do Museu como um todo, acompanha a evolução do estudo da história, incorporando a seu acervo obras sobre a historiografia contemporânea.
A consulta aos originais, aberta a estudantes, professores, mestrandos, doutorandos, pesquisadores e público em geral, pode ser feita por meio de agendamento prévio (telefone 21-3299-0351 ou email mhn.biblioteca@museus.gov.br). O atendimento ao público é realizado de segunda a sexta-feira, das 14 às 17 horas.
Também disponível on line a Biblioteca Digital MHN/DocPro, com todas as publicações editadas pelo Museu Histórico Nacional, inclusive os Anais do MHN, desde o seu primeiro número, lançado em 1940. Consulte a Biblioteca Digital em http://www.docpro.com.br/mhn/bibliotecadigital.html