AS MOEDAS CONTAM A HISTÓRIA

EXPOSIÇÕES PERMANENTES

VOLTAR



"O Índio"
prata, D. Manuel (1495-1521)





"Estatere"
prata, 445-431 a. C. ; Egina





"Denário"
prata, 47-46 a. C. Caio Júlio Cesar (101-44 a. C.)





"Peça da Coroação"
ouro, 1822, D. Pedro I (1822-1831)




No âmbito das comemorações dos 80 anos do Museu Histórico Nacional, foi aberta ao público em dezembro de 2002 a exposição permanente "As Moedas Contam a História", englobando desde os primeiros sistemas de troca utilizados pela humanidade até a implantação da moeda unificada - o Euro - para facilitar as transações comerciais entre os diversos países que integram a União Européia no século XXI.

São cerca de 3.000 moedas, especialmente selecionadas ao longo de três anos de pesquisa no rico universo da coleção de numismática do Museu Histórico Nacional, que contam a trajetória do Homem no mundo a partir desses pequenos objetos, verdadeiras fontes de informação sobre os povos que os utilizaram, propiciando uma abordagem política, econômica, histórica, social e cultural.

Com a curadoria do Prof. Dr. Luiz Aranha Correa do Lago e patrocínio da Petrobrás Distribuidora, a exposição desenvolve-se em amplas galerias da Casa do Trem, edificação de 1762 totalmente restaurada para abrigar a coleção de numismática do Museu que, com seus 129 mil itens, é a mais importante do gênero da América Latina e uma das mais significativas do mundo. A exposição marca a devolução ao público deste importante acervo, não exposto em caráter permanente há mais de 20 anos.

Em "As Moedas Contam a História" , o público pode vislumbrar toda a beleza e raridade de um conjunto de moedas magnificamente conservadas e cronologicamente expostas, segundo uma museografia moderna e atraente.

Logo na entrada da exposição, o visitante tem acesso ao "O Índio", moeda de prata do período de D. Manuel I (1495-1521), exemplar único no mundo.

Numa primeira galeria, o visitante tem a oportunidade de ver os objetos que eram usados para troca e exemplares das primeiras moedas surgidas no século VII a . C. E, ainda, conhecer a técnica e os metais empregados na fabricação das moedas, seu uso e difusão no mundo, a partir dos povos da Antigüidade: moedas da Grécia, de Roma, da Europa Medieval, do Oriente Próximo, da Índia e do Extremo Oriente integram a exposição.

Já na segunda galeria, é inserida a história da moeda, quase sempre associada à vida política, social e sobretudo à economia das sociedades européias, do período do Renascimento aos séculos seguintes, testemunhando a evolução social e os conflitos decorrentes do desenvolvimento das civilizações. Além disso, o público tem acesso à representação, através das ilustrações das moedas, dos episódios que marcaram a vida em quase todas as regiões e países do mundo, como no Império Otomano, na Índia, na China, nas colônias européias da Ásia, América e Oceania, na América Latina e América do Norte.

Um último módulo apresenta um magnífico planisfério contendo as moedas do mundo em circulação na atualidade e , através da "Peça da Coroação", datada de 1822 e alusiva à comemoração da coroação de D. Pedro I como Imperador do Brasil, divulga a exposição "As Moedas Contam a História do Brasil" , totalmente dedicada à nossa história, cuja abertura está prevista para 2005.

Ficha Técnica:

A equipe técnica de numismática é integrada pelo Prof. Dr. Luiz Aranha Corrêa do Lago, curador da exposição, pela museóloga Heleny Pires de Castro, coordenadora da exposição, pelas numismatas do MHN, Eliane Rose Vaz Cabral Nery e Rejane Maria Lobo Vieira, pelas contratadas Amália Ramos Perpétuo Paniza e Mariza Chaves Vilela e pelas voluntárias Dulce Cardoso Ludolf, Sidérea Souza Nunes e Vilma Faria Rodrigues D'Almeida.

A montagem da exposição está a cargo dos técnicos do MHN - Ruth Beatriz Silva Caldeira de Andrada (responsável pela área de Dinâmica Cultural), Luís Carlos Antonelli Lacerda (responsável pelo projeto museográfico), Maria Tereza Pitanga Martins, Cristiane Ramos Vianna e Maria Ines Souza - e dos contratados Luiz Celso Galante Ramos (produtor), Márcia Neves (programação visual), Nasalete Rodrigues Pena e Roberto Albino da Costa (digitalização eletrônica de imagens) e Liana Flosky Manno (digitação de textos).